Sunday, March 28, 2010

Ler é muito bom!

Nem saindo das redes sociais estou tendo tempo de postar com mais frequência como gostaria. Peço desculpas aos leitores, que mesmo assim prestigiam meu blog, diariamente.
Escrevo num domingo de tarde chuvoso, depois de uma atribulada semana com muitas aulas e traduções.
Tive aulas a mais por conta de alunos prestando exames. Um desses exames é conhecido como IB.  Um exame dificílimo, se considerarmos que é para quem termina o ensino médio. É uma espécie de vestibular, só que com provas e trabalhos escritos e orais. Esse exame é oferecido no mundo todo em escolas internacionais. A língua portuguesa figura entre os idiomas pelos quais o aluno pode optar para fazer o estudo da literatura.
Para o professor que prepara candidatos à prova, é uma tarefa de muita responsabilidade, pois precisamos formar ou desenvolver leitores com capacidade de crítica literária e de redação perto do impecável, em língua portuguesa. Cá entre nós, é trabalhoso, mas a leitura é dos grandes prazeres da vida, a meu ver.
Como escreveu Mário Quintana: "Um livro é a melhor forma de se estar sozinho e acompanhado ao mesmo tempo." Perdoem-me se não repito textualmente, mas estou citando de memória e a essa altura da vida, sei lá... :-)

Para quem não gosta de ler, se aguentou chegar até o fim deste post, agradeço pela paciência e sugiro uma passada de olhos pelos poemas de um dos meus poetas favoritos. Duvido que não gostem! Depois, passem aqui e me contem.

Um grande beijo a todos!

O clipart gratuito de livros saiu daqui.


 

Thursday, March 11, 2010

Como ser professor / Como ser tradutor

Recebi um e-mail  com um pedido de sugestões sobre como passar a ensinar apenas por Skype e como tornar-se tradutor para poder aumentar rendimentos.

Tenho de começar dizendo que ambas as profissões não figuram nem de perto entre aquelas que permitem a uma pessoa ter excelentes rendimentos, principalmente em início de carreira.
Para quem vai começar uma profissão nova, o ideal é escolher algo que lhe traga satisfação e que, em consequência da dedicação, possa trazer vantagens financeiras também.

Não conheço a pessoa que me escreveu, então, vou aqui dar algumas outras sugestões gerais.

Ser professor de línguas ou tradutor são duas atividades muito disitntas, que requerem habilidades específicas e anos de estudo e prática. Para escolher qualquer uma das carreiras é essencial que a pessoa adore ler e estudar sobre qualquer assunto, pois nunca podemos saber qual tema vai surgir em uma aula de conversação ou em um trabalho de tradução. Os profissionais dessas áreas têm de estar em constante atualização por meio de cursos, leituras, prática com novas tecnologias, etc.

As aulas por Skype, por exemplo, são muito práticas por evitar a locomoção de alunos e professores, principalmente nos grandes centros urbanos ou quando a distância impede a aula presencial. Contudo, é uma aula que exige do professor tanto ou mais empenho para preparar, manter o aluno motivado e atento, entre outras questões, que só a prática pode ensinar.

Uma outra pergunta nesse e-mail relacionava-se a quanto cobrar por uma aula via Skype. Para isso, é preciso que a própria pessoa faça uma pesquisa na Internet com profissionais que oferecem esses serviços e que considere também suas habilidades, tempo de formação acadêmica, tempo de experiência e custos envolvidos no processo.
Para cada aula, existe um tempo de preparo, que deve ser incluído no valor. Quanto mais individualizado for o curso, mais tempo o professor passará na tarefa de pesquisar ou produzir materiais. Portanto, é preciso sentir prazer nessas tarefas e gostar de pessoas para poder ensinar.

Sei que coloquei coisas demais nesse post, mas nem de perto cheguei a tocar em muitas questões envolvidas na arte de traduzir ou ensinar um idioma.

Prometo que tentarei escrever mais em uma próxima oportunidade!

Por enquanto, vocês podem aprender mais nessa entrevista.

Monday, March 08, 2010

Dia Internacional da Mulher

"Hoje o mundo todo se reverencia em homenagem à mulher."
Acabei de ouvir isso na TV (sempre ela, essa fonte inesgotável de assuntos para meu blog ;-).
Nem sei por onde começar a dizer o que há de problemas na frase.
Como ainda tenho de terminar de arrumar a casa antes de sair para dar aulas, vou deixar a palavra com a leitora  ou leitor que queira comentar. Vou gostar muito. Renda suas homenagens à mulher, reverencie-a, ajudando a corrigir os problemas de conteúdo e forma nas palavras da jornalista.
Depois eu volto!
Beijos e feliz segunda-feira, mulheres do mundo todo!

Sunday, March 07, 2010

Esta mensagem não custa nada!

Um morador de Araçatuba, meu querido e inesquecível torrão natal, me escreveu o seguinte, à propósito da minha mensagem sobre não fazer nada:
"Não fazer nada, significa o contrário de fazer nada, portanto, fazer alguma coisa.
O correto é fazer nada. Isso sim é ócio."
Essa é uma brincadeira possível, pois o português, ao contrário do inglês, admite dupla negação.
Explico melhor:
Em inglês, não posso negar duas vezes na mesma oração. Assim, para dizer "Não quero fazer nada hoje, pois é domingo.", teria duas possibilidades do ponto de vista estrutural:
"I do NOT want to do ANYTHING today because it's Sunday."
ou
I want to do NOTHING today because it's Sunday.
Entretanto, em inglês informal, essa regra é relaxada e podemos ouvir a mesma idéia assim expressa:
I don't (= NOT) wanna do nothing today because it's Sunday.
Já em português, a regra está mais para Pedro, o apóstolo que negou Cristo três vezes.Nós não vamos tão longe mas podemos negar duas vezes, não o Cristo, mas o verbo!
Para ênfase, colocamos duas negativas na mesma oração e dizemos NÃO quero fazer NADA.
O jogo de palavras do leitor que cito acima é possível quando aplicamos a regra do inglês ao português, ou seja, dizemos que não fazer nada é fazer algo e que, para ficar sem fazer nada, precisamos fazer nada, em vez de não fazer nada. Entenderam ou estou pedindo demais nesta tarde de domingo?
Bem, se não expliquei direito, vejam o Professor Pasquale explicar melhor aqui.
Bom domingo a todos e aproveitem para... não fazer nada. E sem culpa! Afinal, isso é português corretíssimo! :-)




Clipart nostálgico aqui (também isento de culpa, pois é de domínio público). Os cliparts de domínio público são grátis. Não custam nada! ;-)

Saturday, March 06, 2010

Se o código é de barro...

Acabei de voltar confusa da padaria (ou padoca, como dizemos informalmente em São Paulo): A menina do caixa me disse que o produto que comprei estava sem código de barrO e, por isso, a registradora não marcava o preço.

Fiquei sem graça de dizer que o que faltava era o código daquelas barras que aparecem na embalagem. E que, por ser um código composto de barras verticais, chama-se código de barra (em inglês, bar code), e não de barrO.

Resolvi, então, escrever esta mensagem, em vez de encabular a moça.

Daí, pensei: se o código é de barrO, será que o santo é de barrA? Afinal, o andor que carrega o santo do provérbio também tem barras, não tem? :_)
Mais isso é assunto para  outra mensagem...




Clipart do santo sem andor, mas de domínio público, aqui. E do código de barras aqui.

Devagar com o andor...

Nas procissões católicas, que antigamente eram muito comuns nas cidades do interior, e ainda sobrevivem em muitas, muitas vezes as imagens de santos são carregadas em andores: um tablado de madeira com duas barras longas e paralelas uma de cada lado, que servem para apoiar o tablado sobre os ombros dos que carregam as imagens.
Isso precisa ser feito com cuidado e calma, senão, o santo pode escorregar, cair e quebrar, pois é feito de barro (louça ou cerâmica). Assim, a expressão "Devagar com o andor, que o santo é de barro", passou a ser usada para significar: "Calma! Não se apresse, pois a preciptação pode causar problemas."
Existe outra expresão semelhante, mas referindo-se à comida: "Quem tem pressa come cru e quente."
Em inglês há vários ditados sobre o mesmo tema. O clipart de domínio público que ilustra essa mensagem traz um deles, que diz mais ou menos: "Devagar e com determinação se ganha a corrida." ou "Devagar e sempre!", como dizemos em português.

Feuerstein descreveu uma importante função cognitiva, mas que nem sempre é usada, chamada "controle da impulsividade". Por meio dessa habilidade mental, a pessoa controla sua pressa e reflete antes de responder a qualquer pergunta ou problema. Esse controle da impulsividade é fator que contribui enormemente para a realização de tarefas, sejam elas domésticas, da empresa ou escolares.

Uma boa forma de entender o que faz essa função é pensar que a pessoa que controla a própria impulsividade não derruba o santo do andor, não queima a língua ao comer comida que nem acabou de cozer e não perde a corrida. Entenderam? :-)

Para falar dos outros...

Fim de semana, hora de se preparar para não fazer nada. E que tal não fazer nada em inglês?
Neste jogo (tá, é um exercício, mas se você encarar como um jogo, fica mais interessante), ouça a gravação e escolha o adjetivo que melhor descreve a pessoa sobre a qual o locutor fala.
Se não souber o significado de algum adjetivo, vá ao meu dicionário gratuito favorito, o answers.com. Ali você pode ver a definição da palavra em inglês e, se não entender, tem a tradução para o português mais abaixo na página. Basta usar a barra de rolagem.
Brincando você aprenderá palavras específicas para descrever as personalidades das pessoas.
Boa diversão!













A moça simpática aí ao lado saiu daqui. Clipart gratuito para professores.