Saturday, May 29, 2010

Para professores cansados

A dica de hoje vai para os professores de inglês em busca de atividades novas. O primeiro semestre vai acabando e, com ele, as nossas melhores idéias para aulas. Por isso, é sempre bom dar uma renovada  antes das férias, para manter os alunos animados até o fim de junho.
Encontrei um site muito bom que oferece gartuitamente diversas fichas de exercícios em formato PDF. A inscrição é gratuita.
Para quem estiver disposto a pagar uma taxa mensal, há também arquivos DOC, PPT e Flash.
Há uma grande variedade de sugestões para ensinar vocabulário, gramática, idioms, etc, inclusive em nível de exames e com música.
Também achei um site com clipart (como o da professora pesquisando na Internet aí embaixo...). Esse site é gratuito, para baixar sem amolação (no hassle!). 

Vale a pena dar uma olhadinha. Depois me contem se gostaram e se usaram alguma das sugestões.
Bom garimpo!
Bjs
Ana

Thursday, May 27, 2010

Junho começa como eu gosto

O mês de junho no Brasil sempre tem um feriadão, que é como chamamos a junção de um feriado com um fim de semana. Às vezes, fazemos uma ponte, ou seja, quando existe um dia útil entre um feriado na quinta, por exemplo, "matamos" a sexta de trabalho (matar o trabalho ou a aula é ditch, em inglês). Fazemos uma "ponte" entre o feriado e o fim de semana. Em inglês, falamos extended weekend para passar a idéia do feriadão em português:

Junho tem feriadão.  In June there's an extended holiday.

O feriado de junho é o de Corpus Christi, que sempre cai numa quinta-feira, ou seja, certeza de feriadão. Aliás, você sabe o que é Corpus Christi? Sabe como pronunciar Corpus Christi em inglês? Se não sabe, leia aqui.

Você já planejou o que vai fazer nesses quatro dias de folga?
Eu já sei o que vou fazer. Vou me esconder em algum lugar com uma pilha de livros maravilhos que estão todos lidos pela metade: um de entrevistas com meu diretor de cinema favorito, Woody Allen, a edição comentada de Alice no País das Maravilhas e A Menina Sem Qualidades estão entre eles. Todos incríveis e todos pela metade, por causa da falta de tempo para meu esporte favorito.

Deixe uma mensagem contando aqui o que você vai fazer nesse extended weekend.



Para professores de inglês: incentivem seus alunos a anotarem as melhores passagens de uma leitura em um log (registro) como esse gratuito que pode ser baixado aqui.

Wednesday, May 26, 2010

Para onde vão as palavras quando ficam velhas?

Mário Sérgio Cortella afirma que as pessoas não ficam velhas. O que fica velho é aparelho de TV (ou televisor, como se dizia na minha infância). O homem se renova a cada dia, se torna novo a cada mudança.
É uma bela visão sobre o passar do tempo e tenho de concordar com ela. Se tivermos o cuidado e a sorte de que nossa mente não degenere, podemos nos fazer novos a cada dia, como a avó de uma grande amiga minha que, aos mais de noventa anos, diz que só vai para o asilo quando ficar velha. Ou como a mãe de Caetano Veloso, que ao completar um centenário de vida disse que só vai tomar mingau no dia em que ficar velha. Que mingau é comida de doente e de idoso e ela não é nenhuma das duas coisas. Que maravilha envelhecer assim! Ou seria melhor dizer "que maravilha rejuvenescer assim"?

Mas por que esse assunto em um blog sobre palavras? Porque tenho pensado em como algumas palavras envelhecem.

E são abandonadas com o tempo. Ninguém mais se lembra de algumas delas, que ficam vivas apenas na memória das pessoas mais velhas ou acabam indo para o asilo das palavras.
E onde fica esse asilo?
A palavra escrita, no meu modo de ver, é o asilo das palavras que caem em desuso. 


Explico:
Quando paramos de usar certas palavras, elas somem das conversas, dos jornais, dos programas de TV e só permanecem vivas em livros, revistas, páginas de Internet e jornais antigos. Ninguém se lembra delas a não ser que "visite" um desses "asilos". Na leitura encontramos palavras de que já não nos lembrávamos mais ou que nunca havíamos ouvido antes, como quando lemos Machado de Assis ou mesmo um jornal ou revista de 10 anos atrás...


 E agora me ocorre que os sites de vídeos como o Youtube também servem de asilo para palavras faladas... Basta "visitar" um vídeo desses guardado há muitos anos para ver que muitas palavras que estão ali, podem não estar mais em uso.

Bom é saber que as palavras envelhecem, mas não morrem jamais, enquanto houver asilos para elas. No papel ou na nuvem digital.

A capa do asilo, digo, livro, que ilustra esse post é de domínio público e pode ser encontrada aqui.