Monday, February 29, 2016

Como aprender inglês (ou outra língua)

Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira para aprender inglês. Minha resposta é sempre a mesma: depende...
Para quem é adulto, o principal é ter disciplina e não acreditar em mitos.
Há pesquisas que demonstram que, para quem mora em um país onde o inglês não é a primeira língua,  é mais fácil para o adulto aprender do que para a criança, ao contrário do que reza o mito popular. Assim, a afirmação de que se aprende com mais facilidade quando se é criança só é estatisticamente válida quando se mora em um país de língua inglesa.
Então, adultos, deixem de lado essas crenças infundadas, arregacem as mangas e peguem o mouse!
Aqui vão dicas para quem não sabe nada ou sabe muito pouco de inglês e que não fala nenhum idioma além do nativo português:
1) Acostume-se com os sons do inglês. Há sites gratuitos que podem ajudar:
a) Neste, clique no ícone do alto-falante para ouvir a pronúncia do som. Quando há diferença entre a pronúncia americana e britânica, clique no botão correspondente para comparar. AM = americana; BR = britânica.
Ouça e repita tantas vezes quantas achar necessário até se sentir confortável pronunciando os sons e palavras. Vá fazendo isso até se sentir bem pronunciando todos os sons do idioma.
Para quem precisa de variedade para se manter motivado, é só alternar a prática da pronúncia com as outras dicas que dou aqui.
2) Em seguida, aprenda os nomes das letras em inglês. Este site aqui é para crianças, mas é bem instrutivo. Saber pronunciar as letras é muito útil em viagens, quando temos de soletrar nosso nome, por exemplo, o que é frequente em hotéis ou para fazer reservas em restaurantes.
3) Saber entender e falar os números também muito útil em viagens.
4) Quando estiver confortável com os sons, letras e números, comece a treinar mais vocabulário básico, como os nomes de alguns alimentos, por exemplo. Sempre é bom saber pedir o que comer numa viagem, certo? Saber as partes do corpo também é útil. Vai que a comida não caia bem, é bom saber dizer para o médico onde dói! :-)
5) Ouça músicas em inglês, aprenda as letras e cante junto! Isso tem um potencial enorme para melhorar seu vocabulário e compreensão oral, além de ajudar no desenvolvimento da fluência. As palavras aprendidas com música fixam-se muito mais em nossa memória do que as aprendidas pelos métodos tradicionais. Descubra mais sobre esse modo de aprender idiomas aqui.
E inscreva-se gratuitamente aqui no blog, para receber as atualizações. Deixe suas dúvidas e comentários. Vou adorar ler! Beijos e bons estudos!


Clipart do apaixonado pelo computador aqui.


Seje é como boitatá... tem gente que jura que já viu, mas não existe!

O boitatá é uma figura do folclore brasileiro. Muitas pessoas que vivem perto de matas juram que ele existe, que já viram, que o vizinho já viu...
Meu pai, que viajava muito pelo interior do Brasil, me explicava que a tal da cobra de fogo não passava de fogo fátuo, ou seja, de gases incandescentes que se desprendem das carcaças de animais em decomposição. Ele ria e dizia: "Isso que falam que é boitatá é fogo fátuo."
Penso nisso sempre que escuto alguém dizendo seje. Tenho vontade de avisar: "Olhe, você já deve ter ouvido isso em algum lugar, seu vizinho pode jurar que existe, você já pode até ter visto escrito, mas seje é que nem o boitatá: não existe!"
Explico melhor.
A forma do verbo ser nos modos imperativo (quando se dá uma ordem ou sugestão ou se exprime um desejo, por exemplo) e subjuntivo (quando se expressa desejo ou dúvida) rima com a do verbo ver:
Veja - Seja
Seja um bom aluno e aprenda que seje é como boitatá: não existe!
Então, cuidado ao escrever ordens ou fazer votos:
Escreva:
Desejo que você seja feliz em 2016.
Veja meus votos para você em 2016: Seja Feliz!
Que em 20106você seja ainda mais feliz!
E que meus leitores sejam sempre cada vez mais interessados na nossa bela língua portuguesa!
Clipart de boitatá existe, e está aqui.