Tuesday, October 31, 2006

Chulé para Alê

Atendendo a pedidos da Alê, cujo amigo queria saber como dizer chulé em inglês, vou contar algumas coisas sobre isso. Claro que não darei conselhos sobre o tratamento desse desagradável problema; falarei desse mal que acomete os pés, mas do ponto de vista da língua. Aprendi no dicionário Aurélio que chulé vem do cigano (a palavra vem do cigano, não o odor!): chul(l)i ou chu(l)ló. Sobre a origem do chulé nos pés, leia aqui.
Em inglês não se diz, por exemplo, “Ele tem chulé.” Diz-se: "He has smelly feet". (Ele tem pés mal-cheirosos/fedidos.) ou então: "He has cheesy feet", que quer dizer a mesma coisa. A palavra cheesy é derivada de cheese (queijo) pela semelhança que o odor de alguns queijos tem com o odor de alguns pés!

A propósito, parece que o cérebro humano pode ser enganado em relação ao cheiro. Se colocarmos diante de uma pessoa um pedaço de queijo, sem que ela veja, e informarmos que é um par de meias, ela sentirá cheiro de chulé; por outro lado, se colocarmos diante dela um par de meias usadas por um jogador de futebol depois de um jogo com prorrogação num dia de verão no Rio e dissermos que se trata de um queijo finíssimo, ela sentirá um cheiro mais agradável, de queijo. Ou seja, o cérebro sente cheiros a partir de pré-conceitos sobre o que irá cheirar!

Mas, voltando ao chulé em inglês... Não, melhor é afastar-se do chulé, não importa em qual língua seja. Portanto, caso você precise dizer a uma pessoa informalmente, em inglês, para que ela afaste o chulé de você, diga assim: “Take your cheese away from me!” (Tira esse chulé daqui!). Normalmente podemos falar assim com pessoas que conhecemos bem e com quem convivemos. Com pessoas estranhas, melhor sair de perto ou tapar o nariz.

Bom, espero ter resolvido esse problema de língua, não de pés!

3 comments:

Alessandra Colla Soletti Tussi said...

Ana, querida!

Que surpresa ótima ver a perguntinha toda respondida aqui! Muito obrigada!

Acabei de mostrar para o meu colega (estamos no intervalo do treinamento de pré-edição de vídeo).

Muito legal a origem da palavra e a pesquisa então! Hehehe, muito divertido esse post! A maneira como você escreve, divertida e leve, prende a atenção e faz a gente querer mais.

Você é um amor, Ana! Superobrigada!

Ana Scatena said...

Oi, Alê! Que bom que você gostou! Espero que seu colega tenha resolvido o problema de língua sobre o pé!

Fico feliz que você e outras pessoas que me escrevem estejam achando os posts divertidos. Isso tem a ver com meu jeito de falar, mas também é uma estratégia de professora: usar o humor para a pessoa querer continuar lendo e lembrar mais depois.

Espero que você e seu colega continuem voltando aqui. Bom curso para vocês.

Anonymous said...

Amei a história do chulé, porém detestei a história do cérebro. Acho que nunca mais vou comer queijo. Bem, também posso desistir de usar meias....Fiquei confusa!Ines.