Monday, November 15, 2010

No Brasil o chique é ter, não é saber...

Há muito tempo saiu um manual que escrevi sobre estratégias de leitura. O título da obra começava com "Aprendendo...". Pela mesma editora saiu, à mesma época, quase que pelo mesmo preço, uma obra sobre boas maneiras, que tinha no título a palavra "Chique..."
Uma das obras vendeu 1.500 cópias e, a outra, no mesmo período, vendeu mais de 50.000.
Qual obra vendeu mais? O que vocês acham?
Bem, estou comparando duas obras que não se equivalem em conteúdo apenas para provocar um pensamento: será que nós, brasileiros, damos mais importância  à aparência do que à sapiência?
Tenho a impressão que sim. Com o passar do tempo parece que, cada vez mais, aprender é coisa para os sem alternativa: quem não tem beleza para ser modelatriz, quem não é sarado para entrar no reality, quem não tem talento para jogar futebol ou cantar, esses têm de de se conformar em estudar para melhorar de vida.
Foi como respondeu um cantor dia desses ao ser perguntado se as filhas iriam estudar ou se seriam artistas:
– Elas é que vão escolher se querem estudar ou ser artistas.
Como se uma coisa excluísse a outra! Na cabeça da repórter e do cantor, parece que sim! E muitos pensam dessa maneira.
Ou seja: no Brasil, conhecimento não dá Ibope...
Mesmo assim, existem ainda muitas pessoas que querem aprender porque gostam, porque têm prazer em expandir seus horizontes.
Por isso, não podia deixar de atender à convocação do Alessandro Brandão, que sugere divulgarmos mais os blogs educacionais. E como fazer isso? Se você é assinante de um blog, pode passar o link para amigos via e-mail ou anunciar nas redes de relacionamento. Diga por que lê o blog ou frequenta o site ou por que gostou de determinada mensagem. Deixe comentários nos blogs, conte sua experiência. Se você tem um blog ou site, divulgue as boas idéias de seus colegas.
Vamos fazer o conhecimento de baixo custo chegar a mais pessoas. Hoje em dia até em pequenas cidades do interior há computadores ligados à Internet, pagos pelo dinheiro público, que qualquer pessoa pode acessar gratuitamente por um período de tempo.
Se mais gente divulgar os blogs e sites com conteúdo educacional, mais pessoas podem aprender onde estiverem.
Lembrem-se: conhecimento não engorda, não paga excesso de bagagem e nem ocupa lugar na gaveta. Além disso, é a única riqueza que podemos carregar conosco a qualquer lugar do mundo sem ter de pagar taxa de alfândega... Portanto, divulguem!

Friday, October 15, 2010

Dia do Professor


15 de outubro é Dia do Professor no Brasil. Escrevo para homenagear meus colegas e meus professores, sem os quais não seria o que sou.

Sou muito agradecida, pricipalmente aos professores exigentes, como dizíamos. Aqueles que nos davam provas e trabalhos difíceis e que me diziam "Ana, eu esperava mais de você..." se eu entregava uma pesquisa menos elaborada do que tinha potencial para fazer.
Todos esses professores me motivaram a buscar fazer sempre o melhor. Tinham verdadeira paixão pela matéria que ensinavam e nos transmitiam isso em suas aulas. Na escola pública! Da primeira série ao curso de especialização na faculdade, sempre estudei em escolas públicas...

Naquela época ainda havia francês na grade curricular, além do inglês.
Lembro-me nitidamente dos meus professores de francês :
Dona Margarida nos ensinou a cantar La Vie en Rose, que decorei palavra por palavra, cantando escondido em casa, porque era (e continuo) desafinada que só...
"Seu" Oscar nos dava provas de leitura oral. Tínhamos de ficar de pé em frente de toda a classe e ler em francês! Nunca tirei um 10 com ele. Só chegava no 9,5. Que raiva! Mas minha prima Bia, que tinha uma pronúnica perfeita, tirava sempre 10. Pelo menos era um 10 dentro da família...

E como não falar da animada dona Flor-de-Lis! Uma entusiasta do idioma, sempre nos incentivando a sermos melhores na matéria e na vida. Nos ensinou a cantar La Marseillaise, cujos primeiros versos nunca me saíram da cabeça.
Allons enfants de la Patrie 
Le jour de gloire est arrivé !
Contre nous de la tyrannie 
L'étendard sanglant est levé 
L'étendard sanglant est levé


Isso foi há muito, muito tempo, mas parece que foi ontem. E acho que foi mesmo, pois, qual não foi minha surpresa quando, há cerca de um ano tive a chance de ir a Paris pela primeira vez e descobri que falava francês! Jamais havia arriscado conversar com ninguém no idioma, que havia aprendido nos bancos da escola pública, quando a ênfase era em leitura, gramática e tradução, sem prática de conversação, a não ser nos diálogos decorados.
Pois a necessidade me fez arriscar e, como sempre estudei com afinco a gramática e as regrinhas de pronúncia que os professores nos faziam anotar no fim do caderno e consultar em caso de dúvida para as provas de leitura oral, consegui entender o que me diziam e, para minha surpresa, os parisienses também me entendiam! Foi o milagre da multiplicação do francês (que não é o pão, mas a língua): professores motivados + aluna aplicada = aprendizado mantido durante muitas décadas...

Fica aqui, então, a minha homenagem a todos os professores que, apesar das agruras de hoje em dia ainda seguem no ofício inspirando seus alunos e preparando-os para a vida.





Clipart gratuito aqui.

Thursday, September 30, 2010

Desafio de pronúncia

Você sabe pronunciar essas palavras em inglês?
suit
suitcase
business
juice
juicer

success
police

Tem certeza? Para tirar sua dúvida sobre essas palavras que geralmente fazem o aluno de inglês errar, dê uma lida aqui. Pratique e impressione sua professora na próxima aula!

Wednesday, September 29, 2010

Jogos para treinar vocabulário

Quando tiver 5 minutinhos livres, dê uma passada para visitar este site de jogos sobre vocabulário para vários níveis. Se puder jogar um pouco todos os dias, seu vocabulário em inglês aumenta sem esforço e de uma maneira divertida. Depois, diga aqui o que achou.
 Clipart gratuito que ilustra este post aqui.

Monday, August 02, 2010

Como se preparar para o TOEFL

Recebi dois e-mails pedindo informações sobre o TOEFL e vou responder aqui no blog pois o assunto desperta muito interesse entre os leitores espalhados por todo o mundo.

Vamos a um resumo dos emails que recebi:
"Meu inglês é muito bom, tanto escrito quanto falado. O TOEFL é muito difícil? Será que eu vou precisar estudar muito?  Na verdade eu não sei muito sobre ele, nem o formato nem nada. Eu comecei a ver isso agora. Qualquer informação será útil!"
Do lado esquerdo da tela deste blog  há um campo para busca de palavras-chave. Basta escrever ali a palavra TOEFL e o leitor encontrará todos os meus textos sobre o tema. É uma boa maneira de inteirar-se sobre a prova, para quem está começando a buscar informações.
Mesmo quem tem inglês fluente tem de praticar para o exame, bastante. Ter um bom resultado depende 50% do seu inglês e 50% de conhecer profundamente o formato da prova.
Dou um exemplo: se você fizer um simulado completo por dia (duas horas, sem interrupções), durante  5 dias, mesmo sem aprender nenhuma nova palavra em inglês no processo, seu score fatalmente irá melhorar por você ficar mais familiarizada(o) com o mecanismo do exame.
Assim, minha recomendação é comprar o Guia Oficial do Toefl o quanto antes. Nem sempre o Guia pode ser encontrado nas livrarias, mas pode ser importado via Amazon ou Livraria Cultura. Só que a importação demora alguns dias ou semanas até. O Guia Oficial contém provas antigas do exame e é o único que pode dar uma idéia aproximada do que você conseguriria em um exame real. 
Com o Guia em mãos, faça um dos simulados. Escolha um local adequado e faça prova toda do começo ao fim, sem intervalos maiores do que cinco minutos entre uma sessão e outra.
Calcule seu resultado conforme as instruções no Guia.
 Desconte sempre uns 15% do score do simulado, pois em condições reais o score costuma cair.
Com esse resultado você terá uma idéia de quanto precisará estudar para se preparar e obter a nota desejada. Comece a estudar partindo de seus pontos mais fracos e repita o mesmo simulado (ou de um outro livro) depois de quinze dias para ver como está seu progresso. Como o Guia Oficial só tem duas provas, deixe a segunda para fazer mais perto do exame real. Há outros materiais bons que você pode comprar para treinar e fazer simulados periódicos.


 (Meu) curso começará em JUL de 2011 e estou querendo começar a me preparar para o TOEFL agora em AGO deste ano. Pretendo fazer a prova no início de Maio do ano que vem.
Tenho que obter 80 de 120.
- Como devo me preparar ?
- Quantos meses são necessários para que eu consiga atingir a pontuação ?
Ao contrário da maioria dos candidatos ao TOEFL, esta leitora está começando a se preparar com uma boa antecedência, o que é importantíssimo para quem procura obter um score alto no TOEFL. Um score de 80 no TOEFL-IB (Internet Based) não é considerado muito alto e não deve ser difícil de obter para uma pessoa que seja fluente e esteja começando a se preparar com 8 meses de antecedência como é o caso aqui. Contudo, ser fluente não é suficiente. Sem conhecer de cor o formato da prova e sem fazer muitos exercícios e simulados, mesmo os proficientes na língua, até os que tenham morado no exterior, podem não obter o score desejado, perdendo tempo e dinheiro no processo. Por isso, tenho 3 dicas para quem já fala e escreve bem o inglês: treine, treine e treine! :-)
Finalmente, para saber de quanto tempo você precisa para se preparar, só mesmo fazendo os simulados e medindo os resultados periodicamente para poder responder. 
Por isso, se as leitoras quiserem voltar aqui com esses dasos, terei prazer em responder.
Beijos e bons estudos. E, se minha opinião vale de incentivo, adoro o TOEFL! Espero que se divirtam tanto como eu, fazendo os exercícios.
Clipart gratuito aqui.

Tuesday, July 06, 2010

Você sabe o que quer dizer vacation em inglês?

O fim do semestre foi apertado de trabalho para mim. Tanto que parei até de escrever no blog, coisa que adoro fazer.
Fiquei devendo algumas dicas para as férias (no Brasil as aulas são interrompidas por 30 dias nas escolas durante julho). Espero que ainda sirvam...
A primeira coisa que gostaria de lembrar aos leitores (ou contar, para quem perdeu essa mensagem), é sobre a origem da palavra vacation (férias, em inglês). O significado original é bem curioso e me inspirou na escolha da minha atividade para este mês. Será que vocês descobrem o que estou fazendo no mês de julho? Deixe seu palpite aqui no blog depois de ler a explicação.
Se quiser aproveitar o tempo livre para treinar inglês para viagem, clique aqui. Nesse site há diálogos em inglês britânico para quem já tem um nível básico de inglês e quer treinar compreensão oral e conversas úteis em uma viagem. Aqui, os alunos mais avançados podem praticar a compreensão oral do que acontece em uma apresentação de um guia turístico.
Para praticar o inglês americano para fazer check-in em um hotel, clique aqui. Embora eu nunca tenha conhecido nenhuma recepcionista tão simpática e tão falante em minhas visitas aos EUA, a velocidade com que ela fala  é  comum.  Algumas falam de maneira automática, muito mais rápido até. Melhor  treinar o ouvido!
Para quem viaja a negócios, encontrei um curso com podcasts. Alguns são muito bons para quem viaja de férias também. Para quem já tem um nível intermediário de inglês.
Para quem é pré-intermediário, recomendo o site eslpodcast, que é meu favorito para esse nível. Os diálogos podem ser lidos e ouvidos em velocidade mais lenta. Depois, o professor explica o vocabulário e, por último, lê o diálogo em velocidade mais natural.
Aproveitem e depois me contem  o que acharam. Vou adorar saber.



Para clipart gratuito sobre viagem, clique aqui.

Friday, June 11, 2010

Para professores cansados - 2

Já passei horas folheando revistas velhas para achar "aquela" foto que facilitaria a explicação de uma nova palavra em inglês para meus alunos. Não é exagero. Eram horas e horas de trabalho, buscando uma foto ou ilustração para recortar, colar em uma cartolina e levar para a classe, para ensinar verbos, por exemplo.
Lembro de um treinamento de professores de que participei. O coordenador do curso nos explicava como evitar usar português para explicar alguma dúvida de vocabulário dos alunos. Ele dizia: "Não seria ótimo se para cada dúvida  pudéssemos puxar uma ilustração e mostrar aos alunos? Infelizmente, isso é impossível."
Para quem tem a chance de trabalhar com computador e Internet na sala de aula, esse sonho impossível virou realidade. Basta jogar a palavra no Google que a imagem aparece. (Aconselho ao professor sempre examinar o resultado da busca antes de mostrar aos alunos! Nunca se sabe o que pode surgir numa busca de imagens no Google...)
Outra opção é ter cartelas de imagens (os professores de inglês chamamos essas cartelas de flash-cards) sempre à mão. Mas hoje em dia não precisamos mais ficar folheando revista velha e espirrando com o pó. Quem é alérgico como eu sabe do que estou falando.
Existem inúmeros sites (sítios, em português) que oferecem gravuras para reprodução gratuita. Para meus colegas cansados neste fim de semestre, sugiro este aqui. Sei que minha amiga Marta vai adorar.
Se você é professor e também gostar da dica como a Marta, deixe seu recado aqui. Vou gostar muito de saber. É só clicar que gostou aí emabaixo. Divirta-se, colega!
 Mais imagens gratuitas como essa da caixa de lenços (para alérgicos como eu) aqui.

Tuesday, June 08, 2010

Quer fazer um lanche ou prefere um snack?


Já falei aqui o que penso do uso de palavras em inglês quando temos uma palavra em português  que funciona exatamente do mesmo jeito.
Hoje no almoço consegui me irritar mais uma vez com essa praga que assola nosso idioma: o uso desnecessário de palavras emprestadas de outras línguas só para "falar bonito" ou, nesse caso que descrevo, glamurizar um produto. Ainda mais quando a palavra sendo substituída já era um empréstimo, que foi aportuguesado!
Um fabricante de sopas instantâneas oferece em uma promoção em um restaurante: a cada refeição você ganha um pacotinho da tal sopa (Eca!) para o "snack (= lanche) da tarde"... Gente, é sopa instantânea! Pode chamar o lanche do que quiser que vai continuar sendo a mesma gororoba cheia de química.
Já pensou você chegar no escritório, lá pelas quatro da tarde e perguntar: Alguém quer fazer um snack?
Ou na faculdade: Pessoal, já vou encontrar vocês para fazer a pesquisa, mas preciso fazer um snack antes.
Quem será que tem essas ideias, hein? Quero dizer: quem pensa em escrever num folheto de propaganda (ou preciso dizer flier, que é como dizem folheto em português hoje em dia...?): "Ganhe uma sopinha para seu snack da tarde?" Será que a pessoa acha que chamar lanche de lanche diminui o apelo do produto? O que você acha, leitor? Dê sua opinião. Vou adorar ler. Enquanto isso, vou fazendo um lanchinho aqui... :-) Ou seria melhor dizer merendinha?








A mulher irritada veio deste site de clipart gratuito.

Monday, June 07, 2010

Os posts mais lidos no blog

Na volta do feriado de Corpus Christi resolvi dar uma olhada em quais mensagens do blog têm sido mais acessadas.
Foi legal ver que muita gente entra aqui para saber sobre o TOEFL.
A mensagem em que dou algumas dicas para quem quer fazer o exame e não sabe por onde começar está em primeiro na lista, seguida de perto pela mensagem sobre o que é um pipitu!!!
Achei divertido descobrir que esses assuntos tão diferentes são os mais lidos.
Em terceiro lugar vem o post sobre palavras feias e palavras bonitas em inglês, em que explico o significado de enthusiasm.  A mensagem gerou vários comentários de leitores, que deram suas sugestões. Deixe a sua lá também! Vou adorar ler.
Em quarto está a explicação sobre a diferença entre used to do e used to doing. Esse post é lido por gente do mundo inteiro. Impressionante como há falantes de português aprendendo inglês nos mais diversos países. Essa explicação gramatical já foi lida no Japão, Mauritânia, Inglaterra, só para citar alguns das dezenas de lugares onde o blog é acessado.


E em quinto lugar, também popular no mundo todo, minha mensagem sobre como praticar inglês básico.


E você, que me leu até aqui, se interessou por algum desses temas? Se não, deixe aqui uma sugestão e, na medida do possível, vou tentar atender.

Saturday, May 29, 2010

Para professores cansados

A dica de hoje vai para os professores de inglês em busca de atividades novas. O primeiro semestre vai acabando e, com ele, as nossas melhores idéias para aulas. Por isso, é sempre bom dar uma renovada  antes das férias, para manter os alunos animados até o fim de junho.
Encontrei um site muito bom que oferece gartuitamente diversas fichas de exercícios em formato PDF. A inscrição é gratuita.
Para quem estiver disposto a pagar uma taxa mensal, há também arquivos DOC, PPT e Flash.
Há uma grande variedade de sugestões para ensinar vocabulário, gramática, idioms, etc, inclusive em nível de exames e com música.
Também achei um site com clipart (como o da professora pesquisando na Internet aí embaixo...). Esse site é gratuito, para baixar sem amolação (no hassle!). 

Vale a pena dar uma olhadinha. Depois me contem se gostaram e se usaram alguma das sugestões.
Bom garimpo!
Bjs
Ana

Thursday, May 27, 2010

Junho começa como eu gosto

O mês de junho no Brasil sempre tem um feriadão, que é como chamamos a junção de um feriado com um fim de semana. Às vezes, fazemos uma ponte, ou seja, quando existe um dia útil entre um feriado na quinta, por exemplo, "matamos" a sexta de trabalho (matar o trabalho ou a aula é ditch, em inglês). Fazemos uma "ponte" entre o feriado e o fim de semana. Veja o que o Ulisses Carvalho, do Tecla Sap, sugere aqui e aqui, para dizermos feriadão em inglês.

O feriado de junho é o de Corpus Christi, que sempre cai numa quinta-feira, ou seja, certeza de feriadão. Aliás, você sabe o que é Corpus Christi? Sabe como pronunciar Corpus Christi em inglês? Se não sabe, leia aqui.
Pretendo ler muito no long weekend. E você?
Já planejou o que vai fazer neste four-day weekend?
Deixe uma mensagem contando aqui para mim. Vou adorar saber.




Para professores de inglês: incentivem seus alunos a anotarem as melhores passagens de uma leitura em um log (registro) como esse gratuito que pode ser baixado aqui.

Wednesday, May 26, 2010

Para onde vão as palavras quando ficam velhas?

Mário Sérgio Cortella afirma que as pessoas não ficam velhas. O que fica velho é aparelho de TV (ou televisor, como se dizia na minha infância). O homem se renova a cada dia, se torna novo a cada mudança.
É uma bela visão sobre o passar do tempo e tenho de concordar com ela. Se tivermos o cuidado e a sorte de que nossa mente não degenere, podemos nos fazer novos a cada dia, como a avó de uma grande amiga minha que, aos mais de noventa anos, diz que só vai para o asilo quando ficar velha. Ou como a mãe de Caetano Veloso, que ao completar um centenário de vida disse que só vai tomar mingau no dia em que ficar velha. Que mingau é comida de doente e de idoso e ela não é nenhuma das duas coisas. Que maravilha envelhecer assim! Ou seria melhor dizer "que maravilha rejuvenescer assim"?

Mas por que esse assunto em um blog sobre palavras? Porque tenho pensado em como algumas palavras envelhecem.

E são abandonadas com o tempo. Ninguém mais se lembra de algumas delas, que ficam vivas apenas na memória das pessoas mais velhas ou acabam indo para o asilo das palavras.
E onde fica esse asilo?
A palavra escrita, no meu modo de ver, é o asilo das palavras que caem em desuso. 


Explico:
Quando paramos de usar certas palavras, elas somem das conversas, dos jornais, dos programas de TV e só permanecem vivas em livros, revistas, páginas de Internet e jornais antigos. Ninguém se lembra delas a não ser que "visite" um desses "asilos". Na leitura encontramos palavras de que já não nos lembrávamos mais ou que nunca havíamos ouvido antes, como quando lemos Machado de Assis ou mesmo um jornal ou revista de 10 anos atrás...


 E agora me ocorre que os sites de vídeos como o Youtube também servem de asilo para palavras faladas... Basta "visitar" um vídeo desses guardado há muitos anos para ver que muitas palavras que estão ali, podem não estar mais em uso.

Bom é saber que as palavras envelhecem, mas não morrem jamais, enquanto houver asilos para elas. No papel ou na nuvem digital.

A capa do asilo, digo, livro, que ilustra esse post é de domínio público e pode ser encontrada aqui.

Sunday, March 28, 2010

Ler é muito bom!

Nem saindo das redes sociais estou tendo tempo de postar com mais frequência como gostaria. Peço desculpas aos leitores, que mesmo assim prestigiam meu blog, diariamente.
Escrevo num domingo de tarde chuvoso, depois de uma atribulada semana com muitas aulas e traduções.
Tive aulas a mais por conta de alunos prestando exames. Um desses exames é conhecido como IB.  Um exame dificílimo, se considerarmos que é para quem termina o ensino médio. É uma espécie de vestibular, só que com provas e trabalhos escritos e orais. Esse exame é oferecido no mundo todo em escolas internacionais. A língua portuguesa figura entre os idiomas pelos quais o aluno pode optar para fazer o estudo da literatura.
Para o professor que prepara candidatos à prova, é uma tarefa de muita responsabilidade, pois precisamos formar ou desenvolver leitores com capacidade de crítica literária e de redação perto do impecável, em língua portuguesa. Cá entre nós, é trabalhoso, mas a leitura é dos grandes prazeres da vida, a meu ver.
Como escreveu Mário Quintana: "Um livro é a melhor forma de se estar sozinho e acompanhado ao mesmo tempo." Perdoem-me se não repito textualmente, mas estou citando de memória e a essa altura da vida, sei lá... :-)

Para quem não gosta de ler, se aguentou chegar até o fim deste post, agradeço pela paciência e sugiro uma passada de olhos pelos poemas de um dos meus poetas favoritos. Duvido que não gostem! Depois, passem aqui e me contem.

Um grande beijo a todos!

O clipart gratuito de livros saiu daqui.


 

Thursday, March 11, 2010

Como ser professor / Como ser tradutor

Recebi um e-mail  com um pedido de sugestões sobre como passar a ensinar apenas por Skype e como tornar-se tradutor para poder aumentar rendimentos.

Tenho de começar dizendo que ambas as profissões não figuram nem de perto entre aquelas que permitem a uma pessoa ter excelentes rendimentos, principalmente em início de carreira.
Para quem vai começar uma profissão nova, o ideal é escolher algo que lhe traga satisfação e que, em consequência da dedicação, possa trazer vantagens financeiras também.

Não conheço a pessoa que me escreveu, então, vou aqui dar algumas outras sugestões gerais.

Ser professor de línguas ou tradutor são duas atividades muito disitntas, que requerem habilidades específicas e anos de estudo e prática. Para escolher qualquer uma das carreiras é essencial que a pessoa adore ler e estudar sobre qualquer assunto, pois nunca podemos saber qual tema vai surgir em uma aula de conversação ou em um trabalho de tradução. Os profissionais dessas áreas têm de estar em constante atualização por meio de cursos, leituras, prática com novas tecnologias, etc.

As aulas por Skype, por exemplo, são muito práticas por evitar a locomoção de alunos e professores, principalmente nos grandes centros urbanos ou quando a distância impede a aula presencial. Contudo, é uma aula que exige do professor tanto ou mais empenho para preparar, manter o aluno motivado e atento, entre outras questões, que só a prática pode ensinar.

Uma outra pergunta nesse e-mail relacionava-se a quanto cobrar por uma aula via Skype. Para isso, é preciso que a própria pessoa faça uma pesquisa na Internet com profissionais que oferecem esses serviços e que considere também suas habilidades, tempo de formação acadêmica, tempo de experiência e custos envolvidos no processo.
Para cada aula, existe um tempo de preparo, que deve ser incluído no valor. Quanto mais individualizado for o curso, mais tempo o professor passará na tarefa de pesquisar ou produzir materiais. Portanto, é preciso sentir prazer nessas tarefas e gostar de pessoas para poder ensinar.

Sei que coloquei coisas demais nesse post, mas nem de perto cheguei a tocar em muitas questões envolvidas na arte de traduzir ou ensinar um idioma.

Prometo que tentarei escrever mais em uma próxima oportunidade!

Por enquanto, vocês podem aprender mais nessa entrevista.

Monday, March 08, 2010

Dia Internacional da Mulher

"Hoje o mundo todo se reverencia em homenagem à mulher."
Acabei de ouvir isso na TV (sempre ela, essa fonte inesgotável de assuntos para meu blog ;-).
Nem sei por onde começar a dizer o que há de problemas na frase.
Como ainda tenho de terminar de arrumar a casa antes de sair para dar aulas, vou deixar a palavra com a leitora  ou leitor que queira comentar. Vou gostar muito. Renda suas homenagens à mulher, reverencie-a, ajudando a corrigir os problemas de conteúdo e forma nas palavras da jornalista.
Depois eu volto!
Beijos e feliz segunda-feira, mulheres do mundo todo!

Sunday, March 07, 2010

Esta mensagem não custa nada!

Um morador de Araçatuba, meu querido e inesquecível torrão natal, me escreveu o seguinte, à propósito da minha mensagem sobre não fazer nada:
"Não fazer nada, significa o contrário de fazer nada, portanto, fazer alguma coisa.
O correto é fazer nada. Isso sim é ócio."
Essa é uma brincadeira possível, pois o português, ao contrário do inglês, admite dupla negação.
Explico melhor:
Em inglês, não posso negar duas vezes na mesma oração. Assim, para dizer "Não quero fazer nada hoje, pois é domingo.", teria duas possibilidades do ponto de vista estrutural:
"I do NOT want to do ANYTHING today because it's Sunday."
ou
I want to do NOTHING today because it's Sunday.
Entretanto, em inglês informal, essa regra é relaxada e podemos ouvir a mesma idéia assim expressa:
I don't (= NOT) wanna do nothing today because it's Sunday.
Já em português, a regra está mais para Pedro, o apóstolo que negou Cristo três vezes.Nós não vamos tão longe mas podemos negar duas vezes, não o Cristo, mas o verbo!
Para ênfase, colocamos duas negativas na mesma oração e dizemos NÃO quero fazer NADA.
O jogo de palavras do leitor que cito acima é possível quando aplicamos a regra do inglês ao português, ou seja, dizemos que não fazer nada é fazer algo e que, para ficar sem fazer nada, precisamos fazer nada, em vez de não fazer nada. Entenderam ou estou pedindo demais nesta tarde de domingo?
Bem, se não expliquei direito, vejam o Professor Pasquale explicar melhor aqui.
Bom domingo a todos e aproveitem para... não fazer nada. E sem culpa! Afinal, isso é português corretíssimo! :-)




Clipart nostálgico aqui (também isento de culpa, pois é de domínio público). Os cliparts de domínio público são grátis. Não custam nada! ;-)

Saturday, March 06, 2010

Se o código é de barro...

Acabei de voltar confusa da padaria (ou padoca, como dizemos informalmente em São Paulo): A menina do caixa me disse que o produto que comprei estava sem código de barrO e, por isso, a registradora não marcava o preço.

Fiquei sem graça de dizer que o que faltava era o código daquelas barras que aparecem na embalagem. E que, por ser um código composto de barras verticais, chama-se código de barra (em inglês, bar code), e não de barrO.

Resolvi, então, escrever esta mensagem, em vez de encabular a moça.

Daí, pensei: se o código é de barrO, será que o santo é de barrA? Afinal, o andor que carrega o santo do provérbio também tem barras, não tem? :_)
Mais isso é assunto para  outra mensagem...




Clipart do santo sem andor, mas de domínio público, aqui. E do código de barras aqui.

Devagar com o andor...

Nas procissões católicas, que antigamente eram muito comuns nas cidades do interior, e ainda sobrevivem em muitas, muitas vezes as imagens de santos são carregadas em andores: um tablado de madeira com duas barras longas e paralelas uma de cada lado, que servem para apoiar o tablado sobre os ombros dos que carregam as imagens.
Isso precisa ser feito com cuidado e calma, senão, o santo pode escorregar, cair e quebrar, pois é feito de barro (louça ou cerâmica). Assim, a expressão "Devagar com o andor, que o santo é de barro", passou a ser usada para significar: "Calma! Não se apresse, pois a preciptação pode causar problemas."
Existe outra expresão semelhante, mas referindo-se à comida: "Quem tem pressa come cru e quente."
Em inglês há vários ditados sobre o mesmo tema. O clipart de domínio público que ilustra essa mensagem traz um deles, que diz mais ou menos: "Devagar e com determinação se ganha a corrida." ou "Devagar e sempre!", como dizemos em português.

Feuerstein descreveu uma importante função cognitiva, mas que nem sempre é usada, chamada "controle da impulsividade". Por meio dessa habilidade mental, a pessoa controla sua pressa e reflete antes de responder a qualquer pergunta ou problema. Esse controle da impulsividade é fator que contribui enormemente para a realização de tarefas, sejam elas domésticas, da empresa ou escolares.

Uma boa forma de entender o que faz essa função é pensar que a pessoa que controla a própria impulsividade não derruba o santo do andor, não queima a língua ao comer comida que nem acabou de cozer e não perde a corrida. Entenderam? :-)

Para falar dos outros...

Fim de semana, hora de se preparar para não fazer nada. E que tal não fazer nada em inglês?
Neste jogo (tá, é um exercício, mas se você encarar como um jogo, fica mais interessante), ouça a gravação e escolha o adjetivo que melhor descreve a pessoa sobre a qual o locutor fala.
Se não souber o significado de algum adjetivo, vá ao meu dicionário gratuito favorito, o answers.com. Ali você pode ver a definição da palavra em inglês e, se não entender, tem a tradução para o português mais abaixo na página. Basta usar a barra de rolagem.
Brincando você aprenderá palavras específicas para descrever as personalidades das pessoas.
Boa diversão!













A moça simpática aí ao lado saiu daqui. Clipart gratuito para professores.

Friday, February 26, 2010

Vou desmentir um repórter

Ultimamente tenho escrito muito sobre o noticiário. Tenho esse vício, de ficar acompanhando tudo o que acontece o tempo todo. Às vezes, chego a ver a mesma notícia três vezes em um dia só: na TV, na Internet e no jornal.
Quando começo a me enfadar com tanta repetição, mudo de canal e vou assistir ao... noticiário. Só que do canal espanhol, ou do francês. Às vezes me arrisco até no canal alemão e, pasmem, no japonês.
Fico lá, tentando juntar imagem com som (ininteligível para mim) para ver se consigo descobrir qual é a notícia. Coisa de viciado, não concordam? :-)
Hoje, por conta dessa minha intimidade com o noticiário escrito e falado, vou tomar a liberdade de desmentir um repórter que anunciou que, no mês passado, houveram mais empregos de carteira assinada do que neste mês. Sou obrigada a desmenti-lo e dizer que não houveram, não! Houve!
"O verbo haver, com sentido de existir, é impessoal, devendo permanecer na 3a. pessoa do singular." Assim recitava minha professora de português, dona Helena. Anotei no caderno e decorei. Guardo o caderno até hoje. Talvez possa mandá-lo para o repórter parar de mentir em rede nacional... :-)

Tuesday, February 23, 2010

Uma boa notícia no jornal!

Costumo ler o jornal toda manhã, o que é um hábito arriscado. Hoje, contudo, deparei com uma notícia ótima e que só reforça minha devoção ao sono bem dormido!
Está certo que, pela notícia, não é para ficarmos dormindo tanto quanto eu gostaria (:-), mas podemos entender que, fazendo a sesta, aprendemos mais.
O artigo ainda afirma que, quanto menos sono, pior o desempenho da inteligência.
Pronto! Era a notícia que todos esperávamos! Vamos dormir para ficarmos mais inteligentes!

Fico agora esperando ansiosamente o dia em que publicarão a descoberta que, para manter-se jovem, magro e saudável, o ideal é comer chocolate nas três refeições.
Quem sabe no jornal de amanhã...



Clipart do meu doce preferido aqui.

Sunday, February 21, 2010

Que alívio! Acabou o horário de verão!

Se você já me lê há algum tempo, sabe que detesto o horário de verão. Então, hoje estou contente que acabou! Hora de acertar os relógios e de recombinar os horários com meus alunos via Skype, que fazem aula em outros países. Às vezes isso dá a maior dor de cabeça, quando as diferenças de fuso ficam grandes (mais de 3 horas complicam!). Mas sempre damos um jeitinho.


O mais difícil é quando tenho na agenda três alunos, por exemplo, um no Brasil, outro nos Estados Unidos e outro na Alemanha, todos tendo aulas seguidas umas das outras.
Preciso calcular os fusos e as diferenças dos horários de verão daqui e de lá...


Ainda bem que tem o santo Google nessa hora, que me dá todas as informações de que preciso.
Agora, não é por isso que detesto o horário de verão. É porque me rouba tempo de sono, mesmo! Mas se você me lê há tempos, também já sabe disso!

Bem, é isso! Beijos a todos e, aos que estão na região do Brasil que padece com o horário de verão, aproveitem a "devolução" da hora que tinham nos "roubado"... :-)

Thursday, February 18, 2010

Como se diz "folgado" em inglês?

Para dizer folgado em inglês, primeiro é preciso saber qual o sentido da palavra em português:

Cena 1: Você está sossegada com seus amigos em um bar e um homem bêbado, suado, descabelado e amarrotado chega e pede seu telefone. O que você pensa? Que ele é folgado, claro. Pelo menos foi isso que pensei quando aconteceu comigo!
Nesse sentido,  folgado quer dizer impertinente, inoportuno. Popularmente também dizemos que o fulano é cara-de-pau.
Em inglês podemos dizer:
The nerve on that guy! = Que sujeito cara-de-pau!

Cena 2: Seu parente (ou amigo, ou vizinho, etc) sempre aparece na hora do almoço e quando você, por educação, o convida para sentar-se e comer, ele sempre aceita. Em português ele é um folgado, aproveitador e, em inglês, é um freeloader. Se quiser dizer em inglês: Esse cara é um folgado! Sempre aparece para filar um almoço!, pode dizer: This guy is such a freeloader! Always showing up to bum off lunch!

Cena 3: Seu colega de república não se mexe para lavar nem um copo sequer e deixa as tarefas da casa todas para você? Então, ele é um folgado, preguiçoso! Em inglês, ele é  slacker/lounger* (ou lazy person) e você pode dizer: Meu colega de república é um folgado! = My roommate is such a slacker! My roommate is so lazy! Se quiser dizer em inglês: Ô, folgado! Levanta desse sofá e pega uma vassoura! diga: Hey, lazybones! Get up from that couch and grab a broom!
* Lounger também significa espreguiçadeira.

Nossa, como dá trabalho traduzir folgado para o inglês! Se eu fosse folgada, não teria escrito essa mensagem!

Clipart que ilustra os preguiçosos desse post está aqui.

Wednesday, February 17, 2010

Acho melhor desligar a TV

Hoje o noticiário resolveu testar minha paciência!
Pois não é que, enquanto escrevia sobre a ressaca de Carnaval que provocou redundância em um repórter, ouço uma entrevistada dizendo que a polícia teve de intervir na quadra da escola de samba quando começou um início de tumulto! Tumulto estão fazendo é com a língua portuguesa!
Pior do que não ter nada para dizer, é não dizer nada com muito mais palavras...
Melhor desligar a TV e ir ouvir as boas letras do Renato Russo!





Clipart da TV que eu quebrei de raiva está aqui.

Que ressaca!!

Acordei cedo. O Carnaval acabou, pelo menos em São Paulo. Sei que continua em algumas cidades do país, onde deve seguir por mais uns dias.
Levantei sonolenta e, como de costume, li meu jornal e depois liguei em um noticiário de TV.
Fiquei sabendo então, que alguns turistas não haviam zarpado para uma viagem de navio por causa das intempéries do tempo, segundo o repórter. Fiquei mais zonza ainda...
Mas foi isso mesmo...
Os turistas foram prejudicados pelo tempo e, a notícia, pela gramática! Pela semântica, para ser mais precisa.
A palavra intempérie tem em si a palavra tempo. Por que repetir? Podemos dizer que a viagem foi prejudicada pelas más condições climáticas, pelo mau tempo ou pelas intempéries.
Senão, estamos produzindo uma redundância, que é a repetição desnecessária de palavras.
Seria o mesmo que dizer mau tempo do clima ou más condições climáticas do tempo.
Só consigo entender essa escorregada do repórter por conta da ressaca de Carnaval...
(Entenderam o chiste???? :-)
Agora, se quiserem saber um pouco mais sobre redundância, leiam minha outra mensagem (ou posts, como se costuma dizer na blogosfera): Moda fashion


Para clipart gratuito de fenômenos climáticos, clique aqui.

Friday, January 22, 2010

100 no Toefl iBT

Recebi um e-mail cuja resposta pode interessar a outros leitores. Então, publico aqui.
Primeiro, o e-mail:

"Gostaria de uma ajuda: estou precisando acelerar meus conhecimentos em inglês, pois necessito tirar nota 100 no TOEFL IBT. O problema é que parei, ano passado, no nível intermediário de um curso regular de inglês. Considero-me, para dizer a verdade, uma aluna do básico-quase-intermediário, digamos assim. O que você me aconselha: aulas paticulares ou em grupo em cursos preparatórios para o teste? Alguma sugestão de professor ou escola em Brasília?"


Para quem está iniciando um curso intermediário de inglês, um Toefl IBT com nota 100 é alto, uma vez que a nota máxima do exame é 120. As melhores universidades americanas exigem notas altas de Toefl como um dos pré-requisitos para admissão. Para saber qual é o mínimo exigido pela escola, o candidato deve entrar no site da Universidade desejada e verificar qual a nota necessária.
Para quem vai se candidatar ao mestrado, as notas exigidas são mais altas. Vejam  exemplos aqui de algumas das mais importantes universidades americanas, europeias e inglesas e as notas mínimas exigidas para o mestrado em administração (o famoso MBA). Como a nota máxima para o TOEFL IBT (Internet based) é 120, dá para ver que as notas mínimas exigidas são altas.
Para quem vai fazer graduação (nos EUA, undergraduate studies), as notas podem ser um pouco mais baixas. Um exemplo: a Escola de Saúde Pública de Harvard exige o mínimo de 94-95 para o Toefl IBT. Dependendo da faculdade, Harvard e outras escolas renomadas não têm uma exigência mínima, mas publicam a média de notas de quem é aceito e, claro, essas médias são sempre altas.


Para alguém no nível intermediário, o maior desafio, com certeza, é a parte oral do exame (speaking), seguida da redação (writing). Mas é possível compensar uma nota mais baixa nessas seções com melhores resultados nas outras.
Contudo, o candidato de nível intermediário precisará dedicar um bom número de horas de estudos para alcançar esses objetivos. Tudo vai depender do tempo que tiver para estudar, da disciplina que tiver e da orientação que receber, seja de professor particular ou de um curso, presencial ou a distância.


Recomendo que o estudo se inicie pelas habilidades receptivas: leitura e depois compreensão oral, para em seguida passar para gramática, redação e finalmente conversação. Claro que todas essas habilidades podem ser desenvolvidas ao mesmo tempo. Mas, se a pessoa for estudar sozinha, fazendo nessa sequência que indico, fica mais fácil, pois uma habilidade vai construindo competências para as habilidades seguintes.
A gramática não é  testada em uma seção específica, mas sim na redação e conversação. Então, para quem está iniciando um nível intermediário, recomendo fazer os exercícios do Toefl paper-based. E fazer muito, muito, muito, pois a gramática é (apenas) um dos requisitos para se escrever bem.


Infelizmente, não conheço ninguém para indicar em Brasília para a leitora que me escreveu. Posso sugerir que ela procure escolas renomadas e veja se têm o curso ou se podem indicar um professor particular.
Aqui no blog também há várias outras dicas sobre como se preparar para o Toefl. O importante é fazer muitos exercícios e simulados inteiros, para sentir como é ficar na frente do computador durante 4 horas, que é quanto dura em média o TOEFL IBT.
Se você tiver mais dúvidas, deixe um comentário aqui, que terei prazer em responder.







clipart gratuito

Friday, January 15, 2010

Pensamento para o fim de semana

"A teacher is a person who never says anything once." - Howard Nemerov.
"O professor é aquela pessoa que nunca diz nada uma vez só."


E é verdade! Mesmo porquê, são raríssimos os alunos que aprendem algo, principalmente em língua estrangeira, ouvindo uma só vez. Por isso, o professor de idiomas tem de estar preparado para repetir algumas coisas centenas de vezes, pois mesmo o aluno que se esforça muito para aprender, também precisa ouvir muitas vezes a mesma pronúncia, entonação, palavra, estrutura etc, antes de conseguir produzir adequadamente.


Em língua estrangeira, repetir é preciso.


Bom fim de semana!!

Sunday, January 10, 2010

Mais moda

Quem lê sempre meu blog já sabe como sigo a moda...
Mas estou sempre interessada no assunto vestuário. O que vestimos (ou despimos) faz parte da identidade de um povo e, em um único povo, podemos encontrar incontáveis  formas de vestir (ou despir), que refletem a identidade de grupos ou indivíduos.
A indumentária, portanto, qualquer que seja, é parte da cultura e, para quem aprende um idioma estrangeiro, conhecer a cultura é essencial.
Já falei aqui sobre a gramática social, ou seja, as regras que devemos seguir para não dizermos o que pode estar correto gramaticalmente mas que fere as normas do convívio social de uma determinada cultura. Evidentemente, o vestuário faz parte dessas regras. Todos sabemos, por exemplo, como em cada local de culto religioso há um código de vestimenta (em inglês, dress code) específico: por exemplo, em alguns templos os homens cobrem a cabeça, enquanto em outros, cobrir a cabeça é sinal de desrespeito. Em alguns, não se entra de pés descalços, enquanto, em outros, pés calçados são uma heresia. Tudo depende das normas de conduta da religião específica que é praticada no local.

Antigamente, os homens brasileiros só saíam de casa de terno e gravata, mesmo nas horas de lazer, a não ser que estivessem indo à praia ou fossem fazer algum esporte. Hoje em dia, muitos saem até para eventos sociais de camiseta regata, bermuda e chinelos de dedo (flip-flops), o que só seria permitido como roupa de praia há algumas dezenas de anos.



A cultura do vestir (ou despir) muda com o tempo, assim como as normas para falar a língua, por influências diversas. É preciso manter-se atualizado sobre todas essas mudanças.

Concluindo: para interagir com culturas estrangeiras ou de fora de nosso grupo social, sempre é bom ter em mente que a vestimenta faz parte da cultura e é, em si, uma linguagem que comunica diversas mensagens. Trata-se de mais uma gramática que precisamos aprender para bem nos comunicarmos em língua estrangeira. Senão, corremos o risco de parecer fora de moda, ou peixe fora d'água...







E para professores que quiserem preparar aulas sobre roupas e para minhas alunas que trabalham com moda, aqui há clipart gratuito, variado e bonitinho! E aqui uma lista de sites com mais clipart gratuito de roupas.