Saturday, March 06, 2010

Devagar com o andor...

Nas procissões católicas, que antigamente eram muito comuns nas cidades do interior, e ainda sobrevivem em muitas, muitas vezes as imagens de santos são carregadas em andores: um tablado de madeira com duas barras longas e paralelas uma de cada lado, que servem para apoiar o tablado sobre os ombros dos que carregam as imagens.
Isso precisa ser feito com cuidado e calma, senão, o santo pode escorregar, cair e quebrar, pois é feito de barro (louça ou cerâmica). Assim, a expressão "Devagar com o andor, que o santo é de barro", passou a ser usada para significar: "Calma! Não se apresse, pois a preciptação pode causar problemas."
Existe outra expresão semelhante, mas referindo-se à comida: "Quem tem pressa come cru e quente."
Em inglês há vários ditados sobre o mesmo tema. O clipart de domínio público que ilustra essa mensagem traz um deles, que diz mais ou menos: "Devagar e com determinação se ganha a corrida." ou "Devagar e sempre!", como dizemos em português.

Feuerstein descreveu uma importante função cognitiva, mas que nem sempre é usada, chamada "controle da impulsividade". Por meio dessa habilidade mental, a pessoa controla sua pressa e reflete antes de responder a qualquer pergunta ou problema. Esse controle da impulsividade é fator que contribui enormemente para a realização de tarefas, sejam elas domésticas, da empresa ou escolares.

Uma boa forma de entender o que faz essa função é pensar que a pessoa que controla a própria impulsividade não derruba o santo do andor, não queima a língua ao comer comida que nem acabou de cozer e não perde a corrida. Entenderam? :-)

No comments: