Thursday, January 25, 2007

Food allergy, food intolerance and food fussiness


Recentemente aprendi numa tradução que alergia alimentar (food allergy) e intolerância alimentar (food intolerance) são diferentes. Tanto do ponto de vista lingüístico como gástrico.

A primeira é bem mais grave, podendo causar edema de glote e até levar a pessoa à morte. Já a intolerância alimentar causa indisposição gástrica, mas não é tão grave. Há pessoas que têm intolerância à lactose (lactose intolerance), por exemplo.

Agora, tenho um amigo que sofre de um problema diferente. Ele não come uma série de alimentos, mas não por ter alergia ou intolerância a alguma delas.
Entre os alimentos que ele se recusa terminantemente a consumir estão:
- qualquer alimento salgado servido em colher (!): sopas, molhos, etc.
- frutas oleaginosas de qualquer tipo: nozes, amendoim, castanhas, etc.
- pipoca (!), que ele odeia principalmente no cinema. Não comam perto dele!

Quando ele rejeita algum alimento desses as pessoas perguntam se ele tem alergia e ele diz que não, que simplesmente não gosta. Assim, pensei que ele sofre de um terceiro problema. Na verdade, quem sofre é quem o convida para uma festa. :-)

Então, pensei em forjar (em inglês, forge = moldar, inventar) um termo técnico para definir essa situação e cheguei à conclusão que meu amigo sofre de implicância alimentar! Não come porque não gosta e pronto!
Até já sei como chamar isso em inglês: food fussiness.

E vocês, conhecem mais alguém que sofra (ou faça alguém sofrer) em conseqüência de uma implicância alimentar? Conte aqui.

8 comments:

Gui said...

Na verdade, eu sofro com food fussiness... hehehe nada grave,mas eu não consigo comer nada com consistência de pudim... não dá. Pra não falar das coisas que eu não gosto mesmo. ;)


Beijos Gui

Ana Scatena said...

Será que Freud explica? Não sei... Mas pelo menos meu amigo fica sabendo que não está sozinho!!! :-)

Maria Luiza Scatena said...

Eu sofro muuuuito, mas não "de" e sim "com o food fussiness" de meus convidados. Por que???
explico já. Eu amo cozinhar. E sendo assim já pensaram ter por perto alguém que torce o nariz para seus quitutes??? Como eu diria isso en inglês ?


Beijos. Mloo

Anonymous said...

É, acho que tenho essa tal de "implicância alimentar".

Eu não gosto de camarão, não gosto do cheiro do camarão. Já ouvi um amigo dizer: "- Como é que alguém pode não gostar de camarão?"

Outros: "Então você não come "Bobó de camarão?" "Camarão na moranga"? Não!!!! Não acredito!!.

Entre incredulidades e estupefatações olham-me com estranheza. E, gente, adoro as coisas do mar!

Acho que Freud não explica e nem estou preocupada em entender. Não gosto de camarão e pronto.

Apesar de gostar de pipoca,compartilho um pouco com a rejeição de seu amigo. Eu detesto a imagem dos baldes de 5 litros de pipoca que vejo toda vez que vou ao cinema.

Como digo sempre, esses baldes tiram todo o charme e encanto dos pequeninos saquinhos de pipoca, no escurinho do cinema.

Beijos.

Ana Maria

Rafa said...

Ainda bem que não tenho alergia à comida! É complicadíssimo mesmo, Ana. Tenho uma amiga que não pode saborear diversas coisas, dentre elas o morango! Já pensou se você tivesse alergia à chocolate? Tadinha!

Em relação a intolerância, eu penso ter sim, principalmente à bife de fígado! É horrível! Tenho náuseas na hora! ECAAAAA!

Agora, com esse negócio de fussiness eu não tenho não! hehe Eu só não como depois de experimentar e sentir o sabor, textura, etc. Não fico restrito somente as partes olfativas e visuais do prato! :D

Acho que conheço esse amigo das oleaginosas, hein! eheh

Beijãooooooo!

Ana Scatena said...

Isa, não é possível ter ataque de food fussiness diante de seus quitutes!
Sobre como dizer "torcer o nariz para os quitutes", ah, isso merece um post especial. Aguarde!

Ana Scatena said...

Ana Maria,

Que gostoso ler seu post. Como sempre, um texto muito bem escrito.
Ah, e eu não posso comer camarão, apesar de adorar! Mas é que tenho food intolerance a ele.
Volte sempre!

Ana Scatena said...

Nossa, Rafa. Eu, com alergia a chocolate! Cruz Credo! Vade retro! Ou como dizia um amigo: Vai de ré!
Agora,adoro fígado! Acho que tem poucas coisas que não como. Resultado de 7 anos comendo no bandejão do CRUSP e tendo de escolher entre comida que andava e comida que não andava no prato. Acabou com a food fussiness que eu tinha.
Ah, e acho que você conhece o amigo das oleaginosas, pipoca, comida de colher e gergelim, que ele me disse que eu esqueci de incluir!