Tuesday, March 13, 2007

Apothéke, botica, botiquim, botequim, boteco


Inspirada por mais um blog do mestre Jarbas, fui pesquisar no Aurélio de onde vinha a palavra boteco. Descobri que vem do grego apothéke, depósito.
No princípio era a botica…
…que significava “loja em geral”, segundo o dicionário Aurélio. Depois, passou a significar farmácia.
Uma pequena loja era chamada, creio eu, de botequim, palavra que depois passou a ser associada a locais simples – e nem sempre bem freqüentados - onde predominava, e ainda predomina, a venda de bebida.
Hoje em dia não pega mal para uma mulher ir a um boteco (derivação regressiva – da palavra, não da mulher! - a partir do diminutivo botequim), desde que seja um boteco chique, como aqueles que aparecem em algumas listas de bares e restaurantes em revistas e jornais de circulação nacional.
Se o boteco ainda for um local onde se pode conversar e filosofar sobre a vida, melhor ainda.
Caso em sua cidade não haja um boteco desse naipe, não se sinta desafortunado. Visite o Boteco Escola e aprenda e ensine muito!
Ah, em tempo: boteco em inglês pode ser traduzido como bar, tavern ou joint, entre outros, dependendo da conotação que se queira dar.
Joint serve para designar qualquer local barato ou mal freqüentado. Um hotel pode ser um joint, por exemplo.
Bar refere-se ao balcão onde as bebidas são servidas. Há restaurantes em que existe esse balcão, para que se possa beber algo enquanto se espera por uma mesa.
Bar em inglês também pode ser um estabelecimento que contenha tal balcão, portanto, refere-se ao lugar que chamamos de bar na frase: "Vamos tomar uma cerveja ali no bar da esquina". Ou seja, o uso da palavra bar é semelhante em inglês e português.
Tavern denomina um local onde se vende bebida alcoólica e pode ser também um lugar de hospedagem. Portanto, se beber, não dirija. Durma na taverna mesmo!

14 comments:

Jarbas said...

Alô Ana,

Obrigado pela visita ao Boteco Escola. E mais obrigado ainda por essa brilhante lição sobre etimologia e semântica do boteco. Você não incluiu 'pub' na relação das categorias de botecos em inglês. Há alguma razão histórica ou linguística para isso? Depois de passar por um velho pub na região portuária de Edinburgo, fiquei achando que os pubs são botecos da melhor estirpe. Mas essa é apenas razão de um fanático bebedor de Guiness, não de um homem de letras... Abraço grande, Jarbas.

Ana Scatena said...

Caro Jarbas,
Obrigada pelos elogios que, vindos de você, valem dobrado. Veja bem, eu não disse *vêem* dobrado, que é um fenômeno que costuma acometer os freqüentadores de boteco.
Você tem razão: boteco é bem traduzido como pub, termo corrente nos países europeus de língua inglesa. No tentanto, nos EUA, o termo mais comumente empregado é bar. Como escrevo, mais por formação acadêmica do que por escolha, sob o ponto de vista da cultura estadunidense, não inclui o termo de propósito. Mas fica aqui a lição, para que os leitores do blog possam embebedar-se (com moderação!) tanto na Europa como nos EUA. Basta dizer para algum habitante do lugar:
Point me to the nearest bar*. (EUA) ou
Point me to the nearest pub. (Europa)
*Me coloque na direção do bar mais próximo. (Optei por essa forma em vez de Where's the nearest bar? (Onde fica o bar mais próximo?) porque a acho mais útil, no caso de quem pede a informação já estar bêbado.
Abraços etílicos!
Ana

Anonymous said...

Oi Ana,

Passei por aqui. Estava conversando com um grego, em espanhol, e resolvi mostrar teu blog para ele.

Um abraço.

JC

Ana Scatena said...

JC,
Que legal! Um grego, que fala espanhol, lê meu blog sobre português e inglês com a ajuda de um brasileiro!!
Que delícia de Babel ao contrário!

Anonymous said...

oi! Ana
sou Aluna do quarto ano de pedagogia na universidade São Judas Tadeu, e professora de Educação de jovens e Adultos, na mesma universidade. Fui apresentada a voce no Boteco escola do professor Jarbas, que nos deu como tarefa a escolha de uma madrinha para o nosso blog que está sendo criado nas aula de Tecnologia Educacional.
Estou escolhendo voce porque é minha xará,porque cursou tradutor e intérprete como minha querida filha que teve que trancar a matricula na faculdade, por problemas financeiros e hoje esta muito longe de mim fazendo intercâmbio nos Estados unidos e por que a decoração do seu blog é igual a minha. coincidência ou não, acho que temos alguma coisa em comum. Espero que aceite o meu convite e que possamos trocar muitas idéias. O blog que estou montando junto com uma amiga da classe, a Luciana, é um blog educacional, direcionado á Educação de Jovens e Adultos. Esperamos por meio dele trocar experiencias,que nos ajudem no desenvolvimento pessoal e em nosso trabalho, pelo qual nutrimos verdadeira paixão. um grande abraço. ana grando

Ana Scatena said...

Nossa, madrinha? Que honra! O que faz uma madrinha de blog? Bem vinda e volte sempre!

Anonymous said...

Estou procurando uma palavra em inglês que possa servir para designar um "depósito de bebidas" como tão freqüentemente podemos encontrar em nosso país. Poderia me ajudar?

Ana Scatena said...

Caro anônimo em busca de um depósito de bebidas (da expressão em inglês, claro!)
Acho que o termo que mais se aproxima é "liquor store", lojas que vendem todos os tipos de bebidas alcoólicas.
"Liquor" não quer dizer "licor", mas sim, bebida alcóolica, veja só!
Nem sóbrio dá para entender essa!
Volte sempre.

Douglas said...

Olá Ana, parabéns pelo seu blog. Agora tenho uma dúvida: como traduzir trancar (de trancar a matricula) ou mesmo afastado de um curso. Como colocaria isso em um currículo?

Grato

Ana Scatena said...

Oi, Douglas.
Obrigada pelos elogios. A resposta que você espera já foi publicada hoje. Espero que ajude!

Antonio Salgado said...

É interessante como as expressões BAR, BOTECO etc. geram repercussões... E sempre atualizadas. Veja esta de 2007 e que volta à baila em 2012 com toda a originalidade que os clássicos sempre preservam. Valeu Professora. Um abraço

Ana Scatena said...

Obrigada pela visita e pelas palavras, Salgado!

Anonymous said...

Bom dia Ana ! Outro dia eu escrevi, conscientemente, " Botiquim", ao invés de Botequim, e me repreenderam. Uma vez que etimologia da palavra é botica ( Portugues) o seu diminuitivo não seria esse ? Apesar de pouco usado ? Estaria errado então escrever desta forma ?

Ana Scatena said...

Olá, Anônimo!
Que pergunta boa! Daquelas que nos fazem pensar.
Tudo depende de o que você escreveu, com que fim e para que leitor. Em um texto literário, por exemplo, as inovações que fogem às regras da gramática e do léxico tradicionais têm sido exploradas há muito tempo como recurso estilístico. Bons exemplos disso são James Joyce e Guimarães Rosa, que criaram novas formas de escrever palavras dicionarizadas e produziram muitos neologismos. Se o seu objetivo era, por exemplo, chamar atenção para a origem da palavra botequim, acho que foi bem apropriado, mas talvez sua intenção não tenha ficado clara para seus leitores. Agora, se o texto não buscava criar uma reflexão ou impacto com o uso da grafia diversa (botequim em lugar de botequim), seria melhor usar a forma que consta nos dicionários da língua.
Obrigada por seu comentário. Espero que volte aqui para me fazer pensar mais vezes!