Monday, February 26, 2007

Ginástica cerebral


Em outra mensagem aqui no blog falei sobre a experiência de aprendizagem mediada (EAM).
Os defensores dessa teoria afirmam que é possível, ao ensinar qualquer conteúdo, também modificar as estruturas cerebrais de quem aprende, desde que o processo de ensino-aprendizagem seja mediado conforme critérios bem definidos, chamados intencionalidade e reciprocidade, significado e transcendência.
Tenho trabalhado há algum tempo com essa abordagem e visto muitas mudanças em pessoas com graus variáveis de dificuldades para aprender línguas. Os resultados obtidos são melhores e mais consistentes do que aqueles em outras abordagens com as quais já trabalhei.
Este texto conta um pouco do que se sabe sobre o que acontece com o cérebro quando se aprende algo. Com a EAM (Experiência de Aprendizagem Mediada) é possível modificar as estruturas cerebrais das pessoas que aprendem uma nova habilidade, como por exemplo, um idioma. Ou seja, o processo de ensino-aprendizagem pode, em tese, ampliar a capacidade de funcionamento do cérebro.

2 comments:

Boanerges said...

Cara Ana,
Seus estudos são muito ricos e de muita valia para os docentes e curiosos. Creio que este tema e resultados sejam verdadeiros pois ainda não temos usado se quer uma percentagem significativa do nosso cerebro.
P.S. O curso de tradução não é oferecido à distancia?

Grato,
Prof.Boanerges

Ana Scatena said...

Olá, professor!
Obrigada pelos comentários.
Apesar de eu não ter mencionado aqui no blog, o curso de tradução a distância funciona muitíssimo bem, principalmente por que tem como foco a língua escrita, permitindo uma variedade de formas de interação: por chat escrito, por e-mail, chat por voz etc.