Monday, February 29, 2016

Seje é como boitatá... tem gente que jura que já viu, mas não existe!

O boitatá é uma figura do folclore brasileiro. Muitas pessoas que vivem perto de matas juram que ele existe, que já viram, que o vizinho já viu...
Meu pai, que viajava muito pelo interior do Brasil, me explicava que a tal da cobra de fogo não passava de fogo fátuo, ou seja, de gases incandescentes que se desprendem das carcaças de animais em decomposição. Ele ria e dizia: "Isso que falam que é boitatá é fogo fátuo."
Penso nisso sempre que escuto alguém dizendo seje. Tenho vontade de avisar: "Olhe, você já deve ter ouvido isso em algum lugar, seu vizinho pode jurar que existe, você já pode até ter visto escrito, mas seje é que nem o boitatá: não existe!"
Explico melhor.
A forma do verbo ser nos modos imperativo (quando se dá uma ordem ou sugestão ou se exprime um desejo, por exemplo) e subjuntivo (quando se expressa desejo ou dúvida) rima com a do verbo ver:
Veja - Seja
Seja um bom aluno e aprenda que seje é como boitatá: não existe!
Então, cuidado ao escrever ordens ou fazer votos:
Escreva:
Desejo que você seja feliz em 2016.
Veja meus votos para você em 2016: Seja Feliz!
Que em 20106você seja ainda mais feliz!
E que meus leitores sejam sempre cada vez mais interessados na nossa bela língua portuguesa!
Clipart de boitatá existe, e está aqui.

3 comments:

Wagner said...

Isso aí! Teachers também ensinam português!

Eu até acredito em boitatá, mas em "seje", não, não!

Ana Scatena said...

É isso aí, Wagner! Não acredite mesmo! Quem ensina inglês tem obrigação de saber o português padrão. By the way, também dou aulas de língua portuguesa, para estrangeiros e vestibulandos. Daí, tenho que estudar dobrado, né? Ô, vida dura essa de professor, hein, colega???

Maria Luiza Scatena said...

Oi Ana, sou um pouquinho como o Wagner. Até penso com carinho no boitatá.. Mas em "seje", "fotinha"

Ah, isso não!